domingo, 22 de março de 2009

:::Baile De Máscaras Da Sociedade Moderna::::

Fonte: wordsthatsing.wordpress.com

.ok. existe um "você" para cada situação da sua vida.

.essa é uma constatação antiga. e provavelmente, todo mundo já se deparou com uma afirmação semelhante. para cada grupo ou situação, uma parte sobressai, outra se esconde, quem sabe inventa-se, um fingimento para incluir-se....

.muitas vezes a mudança é por polidez, regras sociais, em outras pode ser premeditado, planejado. cada um com seu motivo....

.porém, quando um dos seus "eus" (verdadeiro ou não) destaca-se e logo, então, o caracteriza para todos, seria um problema?

.o presidente Lula, por exemplo, mantém níveis de popularidade altos até hoje (pesquisa Datafolha dessa semana mostrou uma leve queda comparada com a anterior). mesmo sem marolinha, com índices de desemprego alarmantes, redução na produção de indústrias, pouco crédito. será uma condescendência com o "homem do povo", "sindicalista-torneiro-mecânico-que-chegou-à-presidência-do-Brasil"?

.eu vivo fugindo do papel do "bonzinho". uma porque não sou. outra porque é a deixa para um rótulo insosso. tento ser gentil, bem educado, prestativo (embora escorregue vez ou outra) como qualquer cidadão civilizado. e só.

.classificar as pessoas em grupos talvez seja um exercício de compreensão/classificação bem simplista (ainda que a percepção varie muito). identificar a quem recorrer. fugir de quem. agradar a quem. quem ignorar.

.independente do que somos, seremos sempre reduzidos a uma parte só do todo?

.abraço.

6 comentários:

Arsênico disse...

Esse é meu problema... não tenho outras faces... ou se tenho... não consigo exteriorá-las... e esse tb é um dos motivos que passo por muitas situções embaraçosas... nunca sei dizer não...

***

Latinha disse...

Bom.. todos me enxergam com cara de menino criado pela avo! ;-)

Eu não sei... mas pensando que todos nós somos seres que se guiam pela visão e que grande parte não sabemos lidar com aquilo que não consegue lidar com o que não reconhece/classifica. A idéia dos papéis nada mais é do que a tentativa de passar discretamente pelas pessoas sem expor medos e fraquezas.

Muitas pessoas vão "comprar" essa imagem, mas sempre haverão aquelas que vão olhar mais atentamente e ver que há algo mais...

Abração!

O Pequeno Diabo disse...

eu sofro cm essa teoria d qd um "eu" se destaca

o meu eu q se destaca eh uma pessoa d atitude forte, curto e grosso e um pouco intolerante

acaba q td mundo axaq eu naum tenho coração, mas eu tenho
xx

FOXX disse...

bem
é impossível não ser classificado
as pessoas precisam de rótulos
precisam mto

Serginho Tavares disse...

infelizmente ou felizmente precisamos atuar em palcos diferentes sempre moço

abração

outeabout disse...

Isso me lembrou "A representação do Eu na vida cotidiana", de Erwin Goffman...rs Se não leu, leia...
Abraço