terça-feira, 14 de abril de 2009

:::A Velha Estória Do Côncavo E Do Convexo::::

Fonte: novazul.blog.com.es

.ok. depois da crise pollyânica, vamos a tentantiva de volta à normalidade.

.como em todo relacionamento que se preze, certa hora chega o momento da verdade. e como presume-se que o papo foi tão bom que alguns detalhes passaram em branco. e antes do apagar das luzes surge a inevitável questão: qual sua preferência? (bom, é de certa forma recomendável resolver isso antes do ato).

.talvez nos esquivássemos dessa situação embaraçosa com o papo direto de salas de chat. afinal, lá é tudo assim. o que procura? o que curte? como você é? mas como nem sempre o que temos em vista é um caso de uma noite só (e uma abordagem desse tipo é péssima), é provável que em encontros reais o assunto passe longe disso.

.os versáteis tem suas vantagens, mas o que fazer se você está confortável com sua preferência? e qual o momento propício para jogar essa bomba cujos estragos são imprevisíveis?

.entre operações matemáticas e físicas, positivo e negativo assumem posições diferentes conforme a situação. mas e na vida real? os iguais repelem-se instantaneamente mesmo? e se a empatia, química é forte, a saída é uma amizade contida? até onde você sacrifica o desejo pelo sentimento? negociar é uma saída? o futuro é ser flex?

.abraço.

11 comentários:

Arsênico disse...

eis o meu grande dilema... mas até hj ainda não entendo porque perguntar se o outro é A ou P chega a ser um ato grosseiro... não é melhor que os dois chagarem a cama e descobrirem que não dá pra ficarem brincando de espadas?...

E por mais medonho que seja... pelo menos pra mim... acredito que no futuro... todo mundo fará de tudo... e "nós" já seremos ultrapassados... caretas... quadrados...

***

O Pequeno Diabo disse...

menino

sabe q isso me aflige mt nas relações
eu sempre acho q td mundo eh pass

eh uma merda
e nunk dou espaço p ngm

aff
segundo txt q levanta essa tematica essa semana e so fortalece a minha ideia d q eh normal a curiosidade d saber a preferencia no sexo para o outro

qd eu conheço alguem gosto d saber s eh atv ou pass

fiko incabulado d perguntar, mas uma hora eh inevitavel
ou arrisca-se ou pergunta-se

xx

FOXX disse...

ah, é sim!
flex total!

g.boy disse...

concordo com o Arsênico. Ser Flex eh o futuro!

=)

Leo disse...

Sim!
Flex é o futuro! :p

Anônimo disse...

discordo nos gays somos mto diversificados, sempre havera atv psvs flex machos pintosas whatever. Viva a autovalorizacao e a expressao. Qual a celeuma de se perguntar apos 30 min de outras perguntas tao importantes qto a pref na cama? Acho adulto, acho ate elegante. Bj, Andre

Bruno disse...

Acho que o mais importante, tanto no sexo, como na vida, é brilhar no papel que lhe cabe!
E eu consigo interpretar vários, desde o machão agressivo a uma angel do victoria`s secret.
=)

Bruno disse...

Ah! E se você se fecha para alguma possibilidade, pode ser que você nunca venha a descobrir a sua próxima coisa favorita.
Como diria a Sarah Silverman; imagine o primeiro cidadão que bebeu o leite das tetas de uma vaca.
Nunca se feche para nada, você pode descobrir o próximo leite!

Fernando disse...

Tbém não vejo muito problema em perguntar, se vc já tá num momento de intimidade, de trocar idéias, dá pra perguntar na boua! Mesmo pq, apesar de acreditar que o futuro é flexxx, sempre temos uma preferenciazinha, né? ;o) . Quem não se comunica se trumbica, rsrsrs...
Bjos.

p.s.: Adorei o comentário do Brunoo, nunca tinha pensado nessa questão do leite de vaca, hahahahah... Atóron!

Dimas disse...

Eu acho que não é necessário perguntar. A gente sempre sabe. Ou melhor, quem vale a pena, sabe...rs Quando um cara chega numa garota, ele não pergunta:"cachorrinho ou papai-mamãe". MAs se tiver pegada, vai saber fazer de um jeito que garota se sinta confortável e tenha prazer.
COm os gays é a mesma coisa. Mas como a galera prefere a obviedade da pergunta (porque do óbvio pro vulgar é um passo curto), fica tudo mais simples e, consequentemente, superficial.
Abraço

Luan disse...

flex facilita.

mas que vc tenha o direito de nao ser flex quando vc nao quiser.

bração!