quinta-feira, 16 de abril de 2009

:::Sobre Batalhas Perdidas E Esperanças Sem Futuro::::

Fonte: YouTube

.ok. ninguém pode com o tempo.

.li o post do Gay Alpha que comenta sobre comprar tempo e não pude parar de pensar como ele afeta toda a nossa vida.

.estamos sempre correndo contra ele. vencendo prazos. correndo atrás de metas. encaixando ações em espaços livres. otimizando o que temos em mãos. enlouquecendo para dar conta de tudo.

.há quem saiba gastá-lo com certa eficiência. outros utilizam de forma aleatória. existem agendas, computadores, secretárias, post-it's. encontram-se boas vidas, madames, malandros, perdidos.

.e por maior que seja a evolução, não estou certo se é possível o dia em que o tempo estará em nossas mãos. voltar no tempo. controlar o tempo. prolongar o tempo. domar o tempo.

.será que falta certa sabedoria ao ser humano para melhor administrar o que tem em suas mãos? ou hoje sacrificar alguns itens para dar lugar ao que é prioridade tornou-se essencial? se tivéssemos todo o tempo do mundo estaríamos contentes com ele ou chorando por mais? em dias confusos como esses, o que o tempo nos reserva?

.abraço.

4 comentários:

FOXX disse...

eu, sinceramente, tenho tempo de sobra...

=]

Beto disse...

meu tempo sempre foi contra mim... mas o tempo que tenho comigo ( aquele só vc e vc entende?! ) ahhh! esse sim é o melhor!!!

Serginho Tavares disse...

quem melhor falou sobre o tempo foram Aldir Blanc e Cristovão Bastos na música 'resposta ao tempo' lindamente cantada pela grande
Nana Caymmi

Batidas na porta da frente
É o tempo
Eu bebo um pouquinho
Prá ter argumento

Mas fico sem jeito
Calado, ele ri
Ele zomba
Do quanto eu chorei
Porque sabe passar
E eu não sei

Num dia azul de verão
Sinto o vento
Há fôlhas no meu coração
É o tempo

Recordo um amor que perdi
Ele ri
Diz que somos iguais
Se eu notei
Pois não sabe ficar
E eu também não sei

E gira em volta de mim
Sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro
Sozinhos

Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto

E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver

No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder
Me esquecer...

Arsênico disse...

Quiridjo... seria tudo se pudéssemos voltar no tempo e ter a chance de refazer algumas coisas que não tenha nos agradado...

E tempo pra mim é como pra maioria... o relógio me odeia...

***